sexta-feira, 25 de maio de 2007

Acidente ...


Não pude deixar de ficar sensibilizado, revoltado, atónito, chocado.

Trata-se, de um relato verídico, de um repórter que presenciou um grave acidente de trânsito, no qual uma jovem, vinda de uma festa, sofreu um acidente, provocado por um condutor embriagado. Essa jovem acabou por morrer devido a esse mesmo acidente.

A jovem, enquanto agonizava, ia dizendo estas palavras, anotadas pelo tal repórter:

"Mãe, fiz o que me pediste!
Fui à festa, mãe. Fui a uma festa e lembrei-me do que me disseste. Pediste-me para que eu não bebesse alcool, mãe...
Então, bebi uma «Sprite».
Senti orgulho de mim mesma e do modo como me disseste que eu me sentiria, e que não deveria beber e conduzir. Ao contrário do que alguns amigos me disseram. Fiz uma escolha saudável e o teu conselho foi correcto. E quando a festa finalmente acabou, o pessoal começou a conduzir sem condições...
Fui para o meu carro, ne certeza de que iria bem para casa, em paz... Eu nunca poderia esperar... Agora estou deitada na rua, e ouvi o polícia a dizer: "O rapaz que causou este acidente estava bêbado", mãe, a voz parecia tão distante... O meu sangue está escorrido por todos os lados e eu estou a tentar com todas as minhas forças não chorar... Posso ouvir os paramédicos dizerem: "A rapariga vai morrer"... Tenho a certeza de que o rapaz não tinha a menor ideia, enquanto ele estava a toda a velocidade, afinal, ele decidiu beber e conduzir, e agora tenho de morrer... Então porque as pessoas fazem isso, mãe? Sabendo que isto vai arruinar vidas?
A dor está-me a cortar como uma centena de facas afiadas... Diz à minha irmã para não ficar assustada, mãe. Diz ao papá que ele seja forte... E quando eu partir, que escreva "Menina do pai" na minha sepultura... Alguém devia ter dito aquele rapaz que é errado beber e conduzir... Talvez se os seus pais o tivessem dito, eu ainda estaria viva... Minha respiração está a ficar mais fraca, mãe, e estou realmente a ficar com medo...
Estes são os meus momentos finais e sinto-me tão desesperada...
Eu gostaria que tu pudesses abraçar-me, mãe, enquanto estou esticada aqui a morrer, eu gostaria de poder dizer que te amo, mãe...
Então...
Amo-te e adeus..."

Resolvi não incluir neste post imagem alguma, pois apenas a imagem do silêncio se encaixa na perfeição aqui. Apenas o nosso silêncio...

Em memória desta jovem...

terça-feira, 15 de maio de 2007

Para relfectir ...




VÊ,
no teu jardim, as rosas entreabertas e nunca as pétalas caídas ...
OBSERVA,
no teu caminho, a distância vencida e nunca o que ainda falta ...
GUARDA,
do teu olhar, os brilhos de alegria e nunca as névoas da tristeza ...
RETÉM,
da tua voz, risadas e canções e nunca os teus gemidos ...
CONSERVA,
em teus ouvidos, as palavras de amor e nunca as de ódio ...
GRAVA,
na tua pupila, o nascer das auroras e nunca os poentes do sol ...
CONSERVA,
no teu rosto, as linhas do sorriso e nunca os sulcos do teu pranto ...
CONTA,
aos homens, o azul das tuas primaveras e nunca as tempestades do Verão ...
GUARDA,
da tua face, apenas as carícias e esquece as bofetadas ...
CONSERVA,
dos teus pés, os passos retos e puros e esquece os transviados ...
GUARDA,
das tuas mãos, as flores que te ofereceram e esquece os espinhos que ficaram ...
Dos teus lábios,
CONSERVA as mensagens bondosas e esquece as maldições ...
RELEMBRA,
com prazer, as tuas escaladas e esquece o prazer fútil das descidas ...
RELEMBRA,
os dias, em que foste água limpa e esquece as horas em que foste brejo ...
CONTA,
e mostra, as medalhas das tuas vitórias e esquece as cicatrizes das derrotas ...
OLHA,
de frente, o sol que existe na tua vida e esquece a sombra que fica para trás ...

A flor que desabrocha, é bem mais importante do que mil pétalas caídas.
E, um só olhar de amor, pode levar consigo o calor, para aquecer muitos invernos.
A bondade é mais forte em nós, e dura muito mais do que o mal que nós mesmos praticamos.

Sê OPTIMISTA, e não te esqueças de que:

É NO FUNDO DA NOITE SEM LUAR, QUE BRILHAM MUITO MAIS AS ESTRELAS ! ! !

quinta-feira, 15 de março de 2007

Passos ...



Eu...

Pé ante pé, sigo caminhos trilhados, feitos de suores e lágrimas, com histórias e histórias para contar.

Segredo-lhes os meus desejos, desabafo as minhas mágoas, choro as minhas amarguras...

Oiço conselhos, palavras de esperança; bebo das suas águas limpidas, cristalinas ...


Meu coração, triste no primeiro passo, vai-se alegrando a cada passo que passa, a cada pedra que fica para trás, a cada tronco derrubado que vou deixando pelo caminho. Obstáculos dificeis de ultrapassar, dificeis de vencer, árduos de derrubar.

Passo após passo, deixo a minha marca no chão, faço chorar as pedras que me querem impedir de andar, mato as esperanças dos troncos em me pararem.


Continuo trilhando caminhos árduos, com a satisfação estampada no rosto, com a alegria de conseguir vencer o próximo tronco, a próxima pedra, e, com o coração a cantar suas alegrias, vou em direcção ao ultimo passo.


Estou a chegar ...
Já vejo o fim ...

Não aguento de alegria, não consigo segurar o prazer, não sei como evitar o sorriso.

Tudo ficou para trás, tudo ficou derrubado, tudo ficou triste por não me conseguir parar.


Venci !!!

Amo a vida !!!

Amo os viventes !!!

Amo-vos !!!

CARPE DIEM



Tem sido assim a minha vida, a minha jornada. Passo após passo, tenho tentado trilhar os caminhos, encarado os obstáculos, tentando vencer os impedimentos. Não é facil caminhar assim. Mas, de mão dada com a vida, tenho procurado vencer. E, por vezes, tenho conseguido.

segunda-feira, 12 de março de 2007

Noite ...



No silêncio do caminho ...
O luar é conselheiro ...
Os passos são amigos ...
O sonhar, verdadeiro ...

No silêncio do caminho, encontro-me comigo mesmo. Sigo, sem rumo, por caminhos escuros, caminhos sem fim, acompanhado por mim mesmo, ouvindo o grito do luar, no silêncio da noite.
Penso, choro, rio, chamo pela vida, clamo pelo amor, imploro pela ajuda.
Ninguém ...
Nada ...
Continuo sozinho ...

Paro ...
Olho ...
Sonho ...

Apenas a lua acima de mim, continua a gritar, continua a falar-me ao ouvido, mas ...
O que é que ela me diz?
Alguém me diz?

Ninguém ...
Nada ...

Apenas eu ...
Sozinho ...

Choro a vida, a minha vida. Tomo lágrimas como água da fonte, na qual sacio a minha sede, a minha tristeza. Refresco a sede de vida, com as lágrimas da tristeza.

Paro ...
Choro ...
Olho ...
Sonho ...

O sonho comanda a vida. Vou viver o sonho. Vou saciar a tristeza. Vou comer da terra a amargura que dentro de mim trago. Vou cantar a ária da saudade, para não sentir saudade.

Vou ...

VIVER !!!

terça-feira, 13 de fevereiro de 2007

Aos amigos ...

NÃO SE DEIXEM ABATER
Nem a TRISTEZA, nem a DESILUSÃO
Nem a INCERTEZA, nem a SOLIDÃO
Nada lhe deverá IMPEDIR de SORRIR.

Nem o MEDO, nem a DEPRESSÃO.
Por mais que SOFRA o seu CORAÇÃO,
Nada lhe deve IMPEDIR de SONHAR.

Nem o DESPREZO, nem a DESCRENÇA,
Muito menos o ÓDIO ou alguma OFENSA,
Nada lhe deverá IMPEDIR de VIVER.

Mesmo ERRANDO e APRENDENDO,
Tudo lhe deverá ser FAVORÁVEL,
Para que VOCÊ possa sempre EVOLUIR.
PRESERVAR, SERVIR, CANTAR, AGRADECER, PERDOAR, RECOMEÇAR...

Caminhe na certeza de CHEGAR,
Lute na certeza de VENCER,
Busque na certeza de ALCANÇAR,
Saiba ESPERAR
Para poder REALIZAR os ideais do seu SER.

Enfim,
Dê o MÁXIMO de SI,
Para VIVER intensamente e maravilhosamente
Todos os seus DIAS!!!

Amizade...

Amigos sabem quando são amigos.

Pois partilham momentos...
Dão força...
Estão sempre ao nosso lado...
Nas conquistas...
Nas derrotas...
Nas horas boas...
E nas difíceis.
Amizade nem sempre é pensar da mesma forma...
Mas abrir mão...
De vez em quando...
Amizade é ter um irmão...
Que não mora na mesma casa...
É partilhar segredos...
Emoções...
É compreensão...
É diversão...
É contar com alguém...
Sempre que se precisar...
É ter algo em comum...
É não ter nada em comum...
É não ter nada em comum mesmo...
É saber que se tem mais em comum do que se imagina...
É sentir saudade...
É querer dar um tempo...
É dar preferência...
É ter um ciúme...

Amizade que é amizade nunca acaba...
Mesmo que apareçam outras pessoas no nosso caminho...
Porque a amizade não se explica...
Ela, simplesmente existe!